15 de ago de 2018

FEARC - 2018 - CULMINÂNCIA









Depois de oito intensos meses de ações culturais na cidade de Gravatá, juntando os fazedores e os apreciadores de Cultura de Popular, o FEARC termina sua versão 2018 com uma grande culminância, que acontecerá em três dias - 17, 18 e 19 de agosto de 2018. Venha saborear de nossa programação cultural.

3 de abr de 2018


OFICINAS AQUECEM O  1° FEARC

Cobertura de audiovisual  e encontro de mamulengos animam o festival.  Eventos acontecerão nos sábados (7) e (14) respectivamente

Dando continuidade às atividades do Primeiro Festival de Artes e Resistência Cultural (FEARC) realizado pelo Grupo de Apoio a Meninos de Rua (GAMR) no próximo sábado (7) acontecerá na instituição uma oficina para produção de conteúdo audiovisual para web a partir de mídias móveis (smartphones,câmeras, tablets), com o objetivo de atender um público que tem pouca familiaridade ou nenhuma com esse material, o jovem Pedro Felipe (21), graduando em Comunicação Social/ Redes Sociais e Produção cultural levará para  o público gravataense a sua experiência e praticidade com essas mídias. A oficina acontecerá de 9h às 16h, no GAMR, a inscrição custa R$ 20,00 que será revertida para o almoço.
 Já os amantes dos mamulengos, poderão apreciar um grande festival com oficinas e bonecos falantes a vontade, no dia 14, no Centro Cultural da Cotunguba do Mestre Galdino, a partir das 19h no sítio Cotunguba,  (antes do distrito de Avencas). Animarão a festa,  Mestre Vino  ( Glória do Goitá), Wagner ( Garanhuns) e Gerusa e Galdino de Gravatá.
O FEARC que começou o mês passado e acontecerá até agosto mês de aniversário da entidade realizadora, vem conquistando adeptos, amantes da cultura popular em especial a nordestina, já se organizam feiras de artesanato e culinárias e grandes encontros com ritmos locais como o maracatu, o pífano e a mazuca. Além de várias rodas de conversas.
Acompanhe nossa agenda no site  do GAMR www.gamr.org.br

Serviço- Grupo de Apoio a Meninos de Rua (GAMR)
Endereço – Rua do Cruzeiro, 421 – Bairro do Cruzeiro Gravatá/PE.

Entrevistas-
 Edson  Oliveira – 81 99616-5275/ 99312-3220
Assessoria de Imprensa- Manuela Lira https://ssl.gstatic.com/ui/v1/icons/mail/images/cleardot.gif
9 9557-9291/ 98821-8468

OFICINA DE RABECA

A Oficina de fabricação de rabecas, abril oficialmente o Festival de Arte e Resistência Cultral - FEARC, que vai acontecer de março a agosto de 2018, com a realização de várias atividades.
A oficina com o Mestre Mário do Bandolim, foi um grande sucesso, abrindo o GAMR para uma nova história na cidade de Gravatá.









FEARC - Festival de Arte e Resistência Cultural

 OFICINAS DE RABECA ABREM O 1° FEARC EM GRAVATÁ
A partir de amanhã começará o ciclo de atividades culturais que desembocará no 1° Festival de Arte e Resistência Cultural (FEARC) que acontecerá na cidade de Gravatá, com a culminância em agosto,   mês de aniversário da instituição realizadora Grupo de Apoio a Meninos de Rua (GAMR). O festival será aberto com oficinas de rabeca que será dadas pelo  mestre Mário do Bandolim nos dias 01, 02 e 03 de março,  no Centro Cultural da Cotunguba do Mestre João Galdino. 
Serão três dias de imersão com o Mestre Mário do Bandolim, ensinando as técnicas de fabricação de rabecas, onde os alunos/artesãos, terão o desafio de fabricar as rabecas para que os meninos e meninas do GAMR, se apresentem em agosto no Festival Resistência de Arte e Cultura Popular.
Com o objetivo de juntar os fazedores, os apreciadores e os brincantes de cultura popular, o grande festival  que acontecerá no bairro do Cruzeiro, trará para a comunidade  feira de artesanato, gastronomia, música e dança que fazem parte da cultura popular pernambucana e que resistem aos apelos midiáticos e a indústria de massa.
            Oficinas de rabeca, maracatu, pífano, mamulengo, gastronomia regional (comidas típicas) ciclo de palestras e seminários que afirmem a identidade e importância da cultura popular.
Maiores informações: Falar com Edson Oliveira – 81 99616-5275/ 99312-3220 e/ou Maciel Ferreira – 99259-1921.
 REALIZAÇÃO: GAMR e Fábrica de Cultura
  

12 de abr de 2017

CONVERSA AO PÉ DO FOGÃO

É neste sábado dia 15 de abril, que acontecerá a primeira versão do "Conversa ao Pé do Fogão", o evento é uma produção do GAMR e Fábrica de Cultura e tem o apoio da Prefeitura Municipal de Gravatá e FUNDARPE - Governo do Estado de Pernambuco.
Nessa primeira versão, contaremos com a participação dos Mestres do Cavalo Marinho de Glória de Goitá - Zé de Bibi, João Picica, Borges Lucas e Biu de Dóia.
Enquanto os mestres conversam, a gente come tapioca e toma um delicioso café. 
A festa termina com as bandas "Tradicional Pífanos do GAMR, Mestre Librina e Triplíce Mistério de Caruaru".
Tudo começa às 15h e vai até... terminar!
Venha, a entrada é gratuita e vai acontecer no Terreiro da Casa de Taipa do GAMR, na Rua do Cruzeiro, 421.
Teremos também feirinha de artesanato e exposição fotográfica.
Mais informações: Falar com Edson ou Maciel nos telefones (81) 9.9616-5275 (Tim e WhatSap) e 81 9.9312-3220 (Claro).

1 de mar de 2017

Banda Mestre Librina: Cultura e Som Nordestino

Primeiro CD da Banda Mestre Librina (Em breve disponibilizaremos para download)

As bandas de pífanos sempre foram em todas as cidades do interior do Nordeste uma das mais tradicionais referências musicais. Em Gravatá, o pífano escreveu a sua história através de Sebastião Librina, que morreu no anonimato não deixando herdeiros do seu ofício. 
Em 2002, o grupo de meninos que fazem parte do Grupo de Apoio de Meninos de Rua - GAMR, resolveu resgatar as tradições do pífano do velho mestre e criaram a Banda Mestre Librina. Com os meninos, os sons do velho pífano ganharam uma nova roupagem, com vozes, rabeca, e uma cantoria, que narra em cordel à perspicácia e sagacidade do povo nordestino. 
Através de performances originais e ritmos tradicionais como a mazuca, ciranda, xaxado, coco, afoxé, caboclinho, frevo, os meninos encantam e envolvem suas platéias em festas profanas ou religiosas. Suas apresentações terminam sempre com uma ciranda, que reúne a platéia numa grande roda, cuja simbologia é a união de todas as classes, raças e credos como forma de democratização da cultura popular. 


A banda Mestre Librina utiliza além do pífano, rabeca, caixa, zabumba, pandeiro, ganzá, alfaia, triângulo, agogôs, contra-baixo e guitarra. 
A banda é composta por: 
  • Maciel – Voz principal, pífano e rabeca 
  • Márcio – Caixa, chimbal, surdo, alfaia, pratos, efeitos e beck 
  • Wellington - Guitarra, violão eletrico, contra-baixo e beck
  • Joyce  – Zabumba, timbale, triângulo, pandeiro, e bec
  • Thiago – Conga, pandeiro, timbal, elú e beck 
  •  Edson – Produtor cultural
  •  Milton – Roadie e motorista
          • 04 - Brincantes  
Assista apresentação da Banda Mestre Librina

A educação é a arma mais poderosa que você pode usar para mudar o mundo. Nelson Mandela